>
Arquivos

Arquivo para

Julgamento do Mensalão – O crime veste ‘Prada’

Os maiores criminosos brasileiros são sofisticados de berço, gostam de usar marcas famosas e caras, ostentam poder, nariz empinado, posam para a sociedade como homens prósperos,  castos e afortunados, vendem imagem, inspiram confiança. Não importa se os crimes que cometeram, e continuam, são meramente políticos, financeiros, tributários, administrativos, sociais, ou mesmo contra a vida humana. … Continuar lendo

Julgamento do Mensalão – Sentenças / 6ª parte – Absolvidos, e outros

“Divindade grega que representa a Justiça, também conhecida como Dice, ou ainda, Astreia. Filha de Zeus e Têmis, ela não usa vendas para julgar. De acordo com Ferraz Júnior (2003, p. 32-33), os gregos colocavam a balança com os dois pratos na mão esquerda da deusa Diké, mas sem o fiel no meio, e em … Continuar lendo

Julgamento do Mensalão – Sentenças / 5ª parte – Culpados ou inocentes?

“É uma divindade grega por meio da qual a Justiça é definida, no sentido moral, como o sentimento da verdade, da equidade e da humanidade, colocado acima das paixões humanas. Por este motivo, sendo personificada pela deusa Têmis, é  representada de olhos vendados e com uma balança na mão. Ela é a deusa da Justiça, da Lei … Continuar lendo

Julgamento do Mensalão – Sentenças / 4ª parte – Conhecendo as Leis

“A Lei das Doze Tábuas (Lex Duodecim Tabularum ou simplesmente Duodecim Tabulae, em latim) constituía uma antiga legislação que está na origem do Direito Romano. Formava o cerne da Constituição da República Romana e do ‘Mos Maiorum’ (antigas leis não escritas e regras de conduta). Conquanto seus originais tenham se perdido, os historiadores reconstituíram parte … Continuar lendo

Julgamento do Mensalão – Sentenças / 3ª parte – Conhecendo as Leis

“Em primeiro lugar, a espada é o símbolo do estado militar e de sua virtude, a barreira, bem como de sua função, o poderio. O poderio tem um duplo aspecto: o destruidor (embora essa destruição possa aplicar-se contra a injustiça, a maleficência e a ignorância, e por causa disso, tornar-se positiva); e o construtor, pois … Continuar lendo

Julgamento do Mensalão – Sentenças / 2ª parte – Conhecendo as Leis

“É símbolo da ‘ignorância’ e do ‘deslumbramento’, mas, também da imparcialidade e do abandono ao destino, e, desse modo, exprime o desprezo pelo mundo exterior face à ‘luz interior’. Por este motivo, adivinhos (Tirésias) e poetas (Homero) da antiga Grécia eram representados como cegos, e dizia-se com frequência que os cegos viam segredos reservados aos deuses. … Continuar lendo

Julgamento do Mensalão – Sentenças / 1ª parte – Conhecendo as Leis

“Utensílio de origem caldeia, símbolo místico da Justiça, quer dizer, da equivalência e equação entre o castigo e a culpa (CIRLOT, 1984, p. 112); não é apenas um signo zodiacal, mas em geral o símbolo da Justiça e do comportamento correto, da medida, do equilíbrio; em muitas culturas, representa a imagem da jurisdição, da Justiça … Continuar lendo

Julgamento do Mensalão – Saber roubar é uma arte

O jornal “O Estado de São Paulo” publicou matéria na última quinta-feira, 01/11/2012, que Marcos Valério foi, por conta própria, à cidade de Brasília no mês de setembro (auge do julgamento da AP 470), acompanhado do seu advogado, Marcelo Leonardo, e prestou novo depoimento ao Procurador-Geral da República, Roberto Gurgel, que o recebeu com ressalvas. … Continuar lendo

Julgamento do Mensalão – Relembrando 7ª parte

O episódio do Mensalão abalou as estruturas da Democracia. As nossas Instituições foram sobremaneira enxovalhadas – parece notícia repetida ou lida em jornal velho, mas necessária pelo grave teor –, e tenho a pessoal impressão de que dificilmente as pessoas compreenderão o tamanho dos prejuízos causados aos cofres públicos, tampouco os desdobramentos futuros. Mais uma … Continuar lendo

Julgamento do Mensalão – Depois da tempestade, vem mais tempestade

Chamam-me de profeta. Na verdade, sou uma pessoa idosa, comum, igual a todas as outras pessoas, salvo nas posses transitórias de bens ou valores, e nos torturantes atos cometidos, que as tornam diferentes umas das outras. Nasci com a faculdade de prever acontecimentos, não o futuro como muitos gostariam – esse se revela oculto aos … Continuar lendo

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts.

Junte-se a 154 outros seguidores