>
Você está lendo...
Política

Julgamento do Mensalão – Sentenças / 10ª parte – Condenados

“Função universal de suporte da glória, do poder, da manifestação da grandeza humana e das Instituições. É um lugar de concentração de poder de quem nele se assenta (CHEVALIER; GHEERBRANT, 2.002, p. 911)”.

______

Supremo Tribunal Federal, sessão de quarta-feira, 21 de novembro de 2.012, sob a presidência interina do Ministro relator Joaquim Barbosa (cuja posse oficial dar-se-á na quinta-feira, dia 22), em regime de continuidade de julgamento da Ação Penal nº 470, foi retomada a leitura dos votos concernentes às dosimetrias dos 05 réus abaixo. Segundo o ex-presidente do STF, Ministro Carlos Augusto Ayres de Freitas Britto, do 12º ao 25º, todos os condenados são considerados “réus avulsos”, mas que tiveram papel preponderante no esquema criminoso do Mensalão, não só no apoio direto, como também nos delitos praticados pela quadrilha, objetiva e subjetivamente.

12º) Breno FischbergEmpresário, dono da Corretora Bônus Banval.

Pena total: Reclusão de 08 anos e 01 mês + 220 dias/multa x 15 salários mínimos/dia.

(a) Lavagem de dinheiro: Pena de 05 anos, e 10 meses de reclusão + Multa de 220 dias/multa x 15 salários mínimos/dia, vigentes à época dos fatos, devidamente corrigidos, idem. Incidem a perda dos bens, direitos e valores auferidos por razão do crime em favor da União e a interdição do exercício de cargo em função pública.

(b) Formação de quadrilha: Pena de 02 anos e 03 meses de reclusão.

13º) Enivaldo QuadradoEmpresário, sócio da Corretora Bônus Banval.

Pena total: Reclusão de 05 anos e 09 meses + 11 dias/multa x 10 salários mínimos/dia.

(a) Formação de quadrilha: Pena de 02 anos e 03 meses de reclusão.

(b) Lavagem de dinheiro: Pena de 03 anos e 06 meses de reclusão + Multa de 11 dias/multa x 10 salários mínimos/dia, vigentes à época dos fatos, devidamente corrigidos, idem. Incidem a perda dos bens, direitos e valores auferidos por razão do crime em favor da União e a interdição do exercício de cargo em função pública.

14º) João Cláudio GenuEx-assessor parlamentar (PP/PR). Foi demitido por improbidade administrativa, sendo proibido de voltar ao serviço público federal por 05 (cinco) anos a partir do ano de 2.009.

Pena total: Reclusão de 07 anos e 03 meses + 200 dias/multa x 10 salários mínimos/dia.

(a) Formação de quadrilha: Pena de 02 anos e 03 meses.

(b) Corrupção passiva (item 06 da denúncia): Pena de 01 ano e 06 meses. (PENA PRESCRITA).

(c) Lavagem de dinheiro: Pena de 05 anos de reclusão + Multa de 200 dias/multa x 10 salários mínimos/dia, vigentes à época dos fatos, devidamente corrigidos, idem. Incidem a perda dos bens, direitos e valores auferidos por razão do crime em favor da União e a interdição do exercício de cargo em função pública.

15º) Jacinto LamasTesoureiro do PL (Partido Liberal).

Pena total: Reclusão de 05 anos + 200 dias/multa x 05 salários mínimos/dia.

(a) Formação de quadrilha: ABSOLVIDO (In Dubio pro reo – 5 x 5).

(b) Corrupção passiva (item 06 da denúncia): Pena de 01 ano e 06 meses. (PENA PRESCRITA).

(c) Lavagem de dinheiro: Pena de 05 anos + Multa de 200 dias/multa x 05 salários mínimos/dia, vigentes à época dos fatos, devidamente corrigidos, idem. Incidem a perda dos bens, direitos e valores auferidos por razão do crime em favor da União e a interdição do exercício de cargo em função pública.

16º) Henrique PizzolatoEx-Diretor de Marketing do Banco do Brasil.

Pena total: Reclusão de 12 anos e 07 meses + 530 dias/multa x 10 salários mínimos/dia.

(a) Corrupção passiva: Pena de 03 anos e 09 meses de reclusão + Multa de 200 dias/multa x 10 salários mínimos/dia, vigentes à época dos fatos, devidamente corrigidos, idem.

(b) Peculato (Bônus de volume / Fundo Visanet): Pena de 05 anos e 10 meses de reclusão + Multa de 220 dias/multa x 10 salários mínimos/dia, vigentes à época dos fatos, devidamente corrigidos, idem.

(c) Lavagem de dinheiro: Pena de 03 anos de reclusão + Multa de 110 dias/multa x 10 salários mínimos/dia, vigentes à época dos fatos, devidamente corrigidos, idem. Incidem a perda dos bens, direitos e valores auferidos por razão do crime em favor da União e a interdição do exercício de cargo em função pública.

Leitura recomendada (clique em): Livro Polítitica

Augusto Avlis

Sobre augustoavlis

Augusto Avlis nasceu no Rio de Janeiro na metade do século XX. Essa capital foi antes o Distrito Federal e o Estado da Guanabara. Profissionalizou-se em Marketing Operacional e fez parte, como Executivo, de multinacionais do segmento alimentício por mais de três décadas, além de Consultor de empresas. Formado em Comunicação Social, habilitou-se em Jornalismo. Ocupou cargo público como Secretário de Comunicação. Hoje dedica-se às atividades de escritor e cronista.

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts.

Junte-se a 154 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: