>
Você está lendo...
Política

Estou de volta

Estou de volta

Duzentos e vinte e dois dias. Esse é o tempo que fiquei “ausente”, digamos, fora do ar. Afastei-me temporariamente, muito embora os 222 dias deem a impressão de um “Adeus” definitivo. Jamais abandonaria o meu Blog (último artigo publicado foi em 30/06/2017, de título “Brasil inconsertável – 19ª parte”) e, sobretudo, os meus leitores – agora não saberia precisar quantos, tampouco os seguidores fiéis, que provavelmente continuam.

Estou de volta. Senti a necessidade de dar um tempo para mim mesmo – sair do lugar comum, mudar de ares, olhares e mares. Foi bom em todos os aspectos. Dediquei-me à realização de um projeto que consegui tirá-lo da gaveta – lá estava há alguns anos; também não precisos. Um romance não terminado, que terá a sua escrita finalizada noutro momento de fuga. Acredito breve, talvez o último ato de um cara que jamais perderá a esperança.

Parece a volta de um sonho sonhado, acontecido em lugar estranho e distante. O difícil foi acordar e deparar com uma realidade que se mostra imutável, que, absolutamente, não está sujeita a mudar, ainda que provocada por forças mutáveis.

Política, religião, economia, reformas estruturais do país, televisão, imprensa, cultura, gente, saúde, educação, segurança pública, desigualdades sociais, Lava-jato, enfim, um emaranhado de informações conexas, aos borbotões, por vezes incoerentes e sensacionalistas, que dão o contorno das imagens diárias, semanais e atemporais. Vento que vem, e que vai, refrescando imaginações. Esta é a realidade com a qual dou de cara. Mesmice agravada, nada mais. Somos a própria notícia absurda, despojada, literal – redemoinho de palavras vazias.

O nosso povo, que poderia ser outro, continua no mais profundo estado de inconsciência. Uma sociedade adormecida, letárgica, que não consegue reagir aos desmandos de governos. Não há sentimento patriótico quando a consentida preguiça mostra a real dimensão do desânimo. Filhos órfãos da vergonha na cara, povo pouco ou nada heróico, aguardando às margens plácidas do rio Ipiranga que o barco afunde completamente. É o que somos – de certo a maioria –, acometidos de perturbações encefálicas. A persistir o estado de coisas chegaremos ao coma de grau IV – muito brasileiro preferirá chamá-lo de “coma dépassé” por ser mais charmoso. O espírito de brasilidade adernou com mastro e bandeira. A recuperação é quase impossível, a depender de métodos agressivos.

Estou de volta. Senti a necessidade de dar um tempo para mim mesmo – sair do lugar comum, mudar de ares, olhares e mares. Foi bom em todos os aspectos. Dediquei-me à realização de um projeto que consegui tirá-lo da gaveta – lá estava há alguns anos; também não precisos. Um romance não terminado, que terá a sua escrita finalizada noutro momento de fuga. Acredito breve, talvez o último ato de um cara que jamais perderá a esperança. Parece a volta de um sonho sonhado, acontecido em lugar estranho e distante. O difícil foi acordar e deparar com uma realidade que se mostra imutável, que, absolutamente, não está sujeita a mudar, ainda que provocada por forças mutáveis. Penso que seria melhor não ter voltado.

Esta lembrança ficou pra trás; agora, com os olhos bem abertos, tenho terríveis pesadelos. O “Brasil paralelo” no qual vivemos está sendo comandado pelas organizações criminosas – as chamadas ORCRIMs –, dos mais variados matizes, de cima pra baixo, e pelas poderosas milícias urbanas, que tentam igualmente se organizar com a ajuda indireta do Estado ausente, basta olhar para a situação que se encontra o meu Rio de Janeiro, que deixei para os outros, para uma geração perdida. Está ficando cada vez mais difícil mudar de ares, olhares e mares.

Augusto Avlis

Navegue no Blog  opiniaosemfronteiras.com.br e você encontrará 823 artigos publicados em 16 Categorias. Boa leitura.

Anúncios

Sobre augustoavlis

Augusto Avlis nasceu no Rio de Janeiro na metade do século XX. Essa capital foi antes o Distrito Federal e o Estado da Guanabara. Profissionalizou-se em Marketing Operacional e fez parte, como Executivo, de multinacionais do segmento alimentício por mais de três décadas, além de Consultor de empresas. Formado em Comunicação Social, habilitou-se em Jornalismo. Ocupou cargo público como Secretário de Comunicação. Hoje dedica-se às atividades de escritor e cronista.

Discussão

Um comentário sobre “Estou de volta

  1. Que bom estar de volta! Estava mesmo sentindo falta dos seus artigos. Navegar é preciso!

    Publicado por Nair | 07/02/2018, 19:21

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts.

Junte-se a 155 outros seguidores

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: