>
Você está lendo...
Política

Julgamento do Mensalão – Sonho petista: Família unida

titulo

ratos

Assento nesta matéria um pensamento meu: “Corrupção é um tema recorrente. Imaginemos uma enorme teia de aranha. Tecê-la requer habilidade, tempo, conhecimento, ainda que uma produção solitária. Cada linha, cada curva e cada ponto têm uma função específica. Está tudo milimetricamente conectado, e tudo leva ao centro nevrálgico, ao elemento crucial. É assim a corrupção no governo”. Desta feita, o sentido de conexão nos faz entender que há uma ligação de uma coisa com outra, ou seja, de um poder maior com um poder menor; decorre forte união; consiste nexo; há incidência da relação de dependência. “Saio de Brasília e entro na Prefeitura Municipal de São Paulo”, diria Fernando Haddad.

Abaixo, reproduzirei, na íntegra, artigo escrito por Elaine Patrícia Cruz, da Agência Brasil, com data de quinta-feira, 13/12/2012. Impressionante como tudo isso era previsível, no entanto, o juízo da dúvida transcende o sentimento de justiça, e os eleitores comprovaram esta teoria nas urnas. Infelizmente. O juízo da dúvida também me coloca minhocas na cabeça e fico me perguntando se tem “hacker” contratado pelo Partido dos Trabalhadores.

haddadA Justiça Eleitoral em São Paulo rejeitou a prestação de contas que foi apresentada pelo candidato eleito à prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad (PT). A informação foi confirmada na tarde de hoje (12) pelo Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP). Em sua decisão, o juiz da 6ª Zona Eleitoral, Paulo Furtado de Oliveira Filho, diz que as irregularidades que foram encontradas na prestação de contas do candidato “são graves, inconsistentes e impedem a verificação da origem dos recursos arrecadados para quitação de todas as despesas assumidas pelo candidato”. O juiz afirma que houve irregularidade na contratação da empresa AJM de Azevedo Eletrônicos-EPP durante a campanha. A empresa foi contratada pelo valor de R$ 4,6 milhões, mas não emitiu notas fiscais eletrônicas e teria ainda fornecido carros de som e material publicitário em volume acima de sua capacidade de estocagem. O juiz diz que o candidato locou veículos de som, de mesmo valor, com outra empresa. Para Oliveira Filho, isso permite a conclusão de que “se trata da mesma despesa paga em duplicidade”. O juiz considerou irregulares os gastos do candidato com a Polis Propaganda & Marketing Ltda, no valor de R$ 30 milhões. Segundo Oliveira Filho, a empresa recebeu, ao longo da campanha, 30% do valor contratado e, na véspera do segundo turno, emitiu 21 notas fiscais sequenciais no valor de R$ 1 milhão cada. “Dívida assumida pelo Diretório Municipal do PT, para pagamento futuro. Trata-se da maior contratação de despesa do candidato, certamente a mais relevante, porém não foi juntada aos autos a planilha contendo a descrição dos serviços, como previsto em contrato”, disse o juiz em sua decisão. A prestação de contas do Diretório Municipal do PT relativa às eleições municipais deste ano também foi desaprovada pelo mesmo juiz. De acordo com Oliveira Filho, o PT deixou de declarar R$ 132 mil que foram doados pela empresa Jofege Pavimentação e Construção Ltda e o valor da despesa com o serviço contratado pela empresa Caso Sistema de Segurança. Com isso, o juiz suspendeu o repasse de recursos do Fundo Partidário ao diretório municipal do partido por um período de quatro meses. Tanto o diretório municipal quanto o candidato podem recorrer da decisão. No dia 19 de dezembro, pela manhã, está marcada a diplomação de Haddad como prefeito de São Paulo. A diplomação é um ato formal no qual o prefeito eleito recebe um documento considerado indispensável para tomar posse ao cargo. Segundo o TRE-SP, a desaprovação das contas do candidato não vai impedir a sua diplomação. Procurada pela Agência Brasil, a coordenação da campanha de Haddad disse que vai apresentar recurso, no prazo legal de três dias úteis, com documentação suplementar, para comprovar a efetiva prestação dos serviços das empresas AJM de Azevedo Eletrônicos-EPP e da Polis Propaganda e Marketing Ltda. A Agência Brasil não conseguiu falar com o Diretório Municipal do PT na noite de hoje.

trioJá vi esse filme antes, inclusive as reprises. Será que teremos um “Mensalão Paulista” à moda do Mensalão Republicano com a chancela de Luiz Inácio Lula da Silva e de Paulo Salim Maluf? A foto sugere incentivo declarado à promiscuidade e ao cinismo político. E os eleitores, como ficam nessa história toda? Simplesmente não ficam, ou melhor, permanecem na condição de “massa de manobra” e alvo dos profissionais da comunicação subliminar, mais conhecidos como marqueteiros.

lula_maluf

Leitura recomendada (clique em): Livro Polítitica

Augusto Avlis

Anúncios

Sobre augustoavlis

Augusto Avlis nasceu no Rio de Janeiro na metade do século XX. Essa capital foi antes o Distrito Federal e o Estado da Guanabara. Profissionalizou-se em Marketing Operacional e fez parte, como Executivo, de multinacionais do segmento alimentício por mais de três décadas, além de Consultor de empresas. Formado em Comunicação Social, habilitou-se em Jornalismo. Ocupou cargo público como Secretário de Comunicação. Hoje dedica-se às atividades de escritor e cronista.

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts.

Junte-se a 152 outros seguidores

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: