>
Você está lendo...
Política

Falta a CPI da “Lava Toga”.

Falta a CPI da “Lava Toga”.

O fétido Congresso Nacional é movido a CPIs. Como se isso fosse uma espécie de “prestação de contas” à população, “mostrar serviço” durante os mandatos dos eleitos. Algo do tipo: “Olhem, nós estamos trabalhando, fazendo jus ao salário e benesses, e em respeito aos votos que recebemos dos nossos fiéis eleitores”. Puta que o pariu três vezes! Quem acreditar nisso pode se juntar aos parlamentares que defendem essa tese. Eu poderia enumerar dezenas de CPIs realizadas sob diferentes pretextos, com centenas de desdobramentos que não deram em nada, que não resultaram efeitos jurídicos dentro do esperado, segundo as Leis penais, de modo que importantes inquéritos acabaram sem a apresentação de conclusões lógicas, sem resultados naturais, definitivos – as causas e as consequências todos nós sabemos. E aí, de cara lavada, os culpados saem abanando a poeira dos seus paletós de linho inglês.  

Os políticos (na sua maioria) são uma cambada de vagabundos que brincam de gato e rato nos porões do Congresso; bandoleiros por excelência. Aquela frase “E tudo terminou em pizza”, do jornalista e locutor esportivo Milton Peruzzi (o pai da criança), bem se encaixa no caso concreto, no campo político das Comissões Parlamentares de Inquéritos. Olhando pro passado recente, quando o Brasil aguardava exemplares punições para todos os criminosos envolvidos nas denúncias investigadas, o que se viu? Absolutamente nada, ou quase nada. De certo modo, outra frase explica o comportamento dos membros das CPIs: “Cadeia não foi feita pra político camarada”. Portanto, saindo do mundo do esporte e entrando no da política, estamos vendo que Milton Peruzzi tinha toda a razão. “Tudo terminou em pizza”, sobre uma farta mesa rodeada de canalhas sorridentes, experts em chantagens de toda ordem. Ocultação de cadáveres, só isso que houve, e sempre haverá nas CPIs – simples ou mistas.

Trazendo um pouco desse passado recente para o presente, a mais famosa foi a CPMI dos Correios, uma Comissão Parlamentar Mista de Inquérito, criada para investigar o escândalo dos Correios que, mais adiante passou também a investigar o “Escândalo do Mensalão”. Todos devem se lembrar que o Mensalão foi um esquema engendrado pelo PT para a compra de votos dos parlamentares no Congresso Nacional para que votassem a favor dos projetos de interesse do Executivo – Lula já era presidente em 06/06/2005 quando o escândalo veio à tona. Lula foi considerado o “pai da criança”, ou seja, da carinhosa mesada de, em média, R$ 30.000,00, segundo o então deputado federal Roberto Jefferson (PTB-RJ), paga mensalmente a deputados e a senadores mais chegados, muito embora o então ministro da Casa Civil, José Dirceu, tenha sido apontado como o “mentor” do esquema criminoso. De onde veio o dinheiro da propina? Dos orçamentos de publicidade das empresas estatais (Banco do Brasil, por exemplo), com a intermediação de duas agências mineiras de comunicação, a DNA e a SMP&B, de propriedade do publicitário Marcos Valério. Sujo de merda até o pescoço, o PT arranjou um jeito de trazer para dentro do STF o julgamento da Ação Penal, alegando “Foro privilegiado” da maioria dos réus. Não quero comentar sobre a montanha de cagadas que a Suprema Corte fez na Ação Penal 470. Pra quem queira saber é só consultar a história. Haja estômago. É bom lembrar que o Mensalão foi tão somente o boi de piranha, a boiada da corrupção já estava passando nos rios da Petrobras. Canalhas.

Duas outras tentativas para abertura de CPIs no Congresso foram em vão. A CPI “Lava Toga”, no meu entender, não iria lavar nada e tudo continuaria sujo como antes. Imaginem, amigos leitores, uma CPI dessa envergadura instaurada três meses depois da posse do presidente Jair Bolsonaro. Onde isso iria parar? Numa quinta-feira, 14/03/2019, o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) conseguiu reunir o número mínimo de 27 assinaturas para reapresentar o pedido de criação da CPI do Judiciário, conhecida como “CPI Lava Toga”. Alessandro Vieira é ferrenho defensor da investigação do Poder Judiciário, diga-se de passagem. Escopo da CPI: investigação das condutas ímprobas, desvios operacionais e violações éticas por parte de membros do Supremo Tribunal Federal (STF) e de Tribunais Superiores do país. Quero saber quem tem coragem para peitar esses semideuses intocáveis. A CPI foi colocada numa cápsula de congelamento. Notícia de 15/08/2021: O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) não conseguiu as assinaturas suficientes para abrir uma CPI para investigar o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Pelo Instagram, Eduardo Bolsonaro comentou “que não elege todos os deputados do Congresso”. Estamos diante da ditadura de toga? Resposta perigosa. E aí, de nariz empinado, na sua mais elevada soberba, os “iluministros” saem abanando a poeira das togas, sem, contudo, se livrarem do seu mau cheiro.

Augusto Avlis

Navegue no Blog  opiniaosemfronteiras.com.br e você encontrará 1.033 artigos publicados em 16 Categorias. Boa leitura.

Sobre augustoavlis

Augusto Avlis nasceu no Rio de Janeiro na metade do século XX. Essa capital foi antes o Distrito Federal e o Estado da Guanabara. Profissionalizou-se em Marketing Operacional e fez parte, como Executivo, de multinacionais do segmento alimentício por mais de três décadas, além de Consultor de empresas. Formado em Comunicação Social, habilitou-se em Jornalismo. Ocupou cargo público como Secretário de Comunicação. Hoje dedica-se às atividades de escritor e cronista.

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts.

Junte-se a 162 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: