>
Você está lendo...
Fatos em Foco

Covid-19 – Quarta parte

Covid-19 – Quarta parte

“Eis que da Ásia Oriental virá uma hecatombe, que não será o sacrifício de cem bois. Catástrofes em proporções gigantescas se avizinham, provocando significativa redução populacional da Terra. Seria este acontecimento uma interferência interplanetária sobre nós, sobre o nosso destino? Sem respostas perguntas ficarão. Os pensamentos são forjados segundo visões particulares, e estas projetam diferentes realidades. Frente ao desconhecido, perplexos ficaremos; a impotência tornará as ações inócuas; a humanidade não saberá a quem pedir ajuda. Os homens ajoelharão e deitarão a cabeça sobre o cepo”.

Augusto Avlis

As reações são dúbias. A desconfiança dá o tom das conversas. No geral, perde-se precioso tempo com discussões acaloradas, que não servem absolutamente pra nada. Ah! Eu faria isso ou aquilo. Ah! Eu deixaria de fazer aquilo ou isso. Esta situação toda só está servindo pra que as pessoas mostrem as suas unhas dantes escondidas sob a pele lanosa, e tragam à revelação o que realmente são. Os indivíduos estão confundindo juízos de valores. Seria prova de egoísmo pensar em salvar a própria pele ao negar, nesse momento, o beijo de um filho? Instinto de preservação é outra coisa! Pois é, isto já está acontecendo. Idosos da varanda do terceiro andar saudando os netos que estão no pé do prédio impedidos pelos pais de subirem. Até quando a sociedade vai suportar isso? Tem gente que anda dizendo que preferiria morrer!

Tem governador defendendo o isolamento social total, junto com o lockdown das cidades. Seria a decretação do caos. O bloqueio das estradas, o fechamento de fronteiras municipais e interestaduais traria como primeira consequência o desabastecimento de alimentos, insumos e combustíveis. Fácil imaginar o resultado caso essa medida seja tomada: Desobediência civil, cujos atos praticados pela população seriam voltados para a violência generalizada, para um quebra-pau total. Tenho a impressão que certas autoridades públicas (sem destacar nomes) estão torcendo para que isto de fato aconteça, o descontrole social. A superação da crise parte de uma equação simples: cultura de paz + equilíbrio + governabilidade = povo participativo. Pessoas há que estão agindo feito cachorro que range os dentes quando tem o rabo pisado ou disputa com outro cão um pedaço de osso. Coloque 10 porcos num chiqueiro com 2 m² e veja o que acontece – um cenário comparável às reuniões de governantes. O reino animal nos ensina muita coisa, basta termos sensibilidade e humildade para aprender. Os bichos são inteligentes; os homens tentam não ser comparados e/ou sê-los.

As pessoas mais esclarecidas estão se dando conta que, nesse momento de crise aguda pela qual atravessa o Brasil, determinados governadores passam a ideia da criação de uma nova “República Populista”, e assim consolidar a aproximação com a população. É evidente que os seus discursos, impregnados de mensagens subliminares, têm uma direção certa: atacar a figura do Presidente da República, quando o acusam de falta de liderança e de ser desagregante. Pelo que me parece, até agora nenhum governador colocou a estrutura do seu Estado à disposição do governo federal, ou mesmo acenou com soluções globais. A pandemia da má política mostra os seus efeitos. Nessa linha, apelando para o ilusionismo deífico, governadores, sobretudo prefeitos, usarão o novo Coronavírus como “Cabo eleitoral” nas eleições municipais de outubro próximo. Os indivíduos menos esclarecidos, contaminados pela pandemia da má política, baterão palmas, venderão votos, ou os trocarão pela salvação.

Augusto Avlis

Navegue no Blog  opiniaosemfronteiras.com.br e você encontrará 969 artigos publicados em 16 Categorias. Boa leitura.

Sobre augustoavlis

Augusto Avlis nasceu no Rio de Janeiro na metade do século XX. Essa capital foi antes o Distrito Federal e o Estado da Guanabara. Profissionalizou-se em Marketing Operacional e fez parte, como Executivo, de multinacionais do segmento alimentício por mais de três décadas, além de Consultor de empresas. Formado em Comunicação Social, habilitou-se em Jornalismo. Ocupou cargo público como Secretário de Comunicação. Hoje dedica-se às atividades de escritor e cronista.

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts.

Junte-se aos outros seguidores de 160

%d blogueiros gostam disto: