>
Você está lendo...
Naturismo

Planeta naturista

Planeta naturista

A nave espacial está parada na pista de decolagem aguardando, da torre de controle, a ordem de voo. Checklist finalizado – todos já embarcaram, sem prioridades de idade, de condição física e de raça. As mulheres grávidas e/ou com crianças de colo passaram na frente face à educação dos naturistas. Os passageiros, devidamente acomodados, ouvem com atenção as instruções dos comissários de bordo:

“Bom dia a todos. Um imenso prazer tê-los a bordo nessa viagem dos sonhos, que nos levará ao Planeta naturista, onde teremos a oportunidade de experimentar a liberdade, de nos livrar da hipocrisia e de quebrar tabus, sempre respeitando as individualidades. Nós comissários de bordo somos profissionais, também naturistas, responsáveis pelo atendimento no decorrer do voo, orientando os senhores passageiros a respeito dos procedimentos de segurança individuais e coletivos, servindo bebidas e alimentação preferidas, assessorando os pilotos da nave espacial – igualmente naturistas com muitas horas de voo –, rsrsrsrs, portanto, somos encarregados da administração, do abastecimento e dos serviços prestados aos tripulantes e passageiros. Esta nave não possui serviço especial de coleta de lixo, sendo assim, pedimos aos passageiros que selecionem os resíduos do seu consumo recolhendo-os nos locais apropriados. Um detalhe importante: ao desembarcarmos no Planeta naturista cessarão as prerrogativas de todos, de modo que todas as tarefas serão executadas por todos, sem distinção ou privilégios. Agora, dispam-se. Para aonde vamos não usaremos roupas, independente das temperaturas externas – quem não concordar com essa regra de conduta será imediatamente convidado a descer da nave espacial. As vestimentas serão recolhidas, codificadas e guardadas para posterior entrega às pessoas no retorno ao planeta Terra. Esta nave espacial não possui saídas de emergência em razão da sua extrema segurança, por isso, também não dispõe de seat belt. Os banheiros, no total de seis, são coletivos e higienizados. Nas poltronas temos controles digitais disponibilizando arquivo completo de músicas e filmes internacionais. A propósito, o filme sobre a vida e trajetória da atriz Luz del Fuego sairá de cartaz por fraca bilheteria. Construiremos a nossa própria história no Planeta naturista. A equipe de comissários passa a palavra ao comandante. Boa viagem a todos ao universo naturista”.

A torre de controle dá a autorização de decolagem e a nave espacial alça voo. Recolhido o trem de pouso, o comandante se dirige aos passageiros:

“Bom dia a todos vocês. Meu nome é Rodolfo, simplesmente Rodolfo. A partir de agora estou retirando o crachá do peito porque níveis profissionais e sociais deixam de existir, sou apenas o responsável por conduzir esta nave espacial até o seu destino e trazê-la de volta ao ponto de partida. Não me chamem de comandante, só Rodolfo – distintivos e medalhas também não fazem sentido no Planeta naturista, distante da compreensão humana, mas possível de ser alcançado. Navegaremos num sistema estelar isolado no espaço cósmico, gravitacionalmente ligado. Informo a todos que estamos rumando para a galáxia GN-z11, posicionada a 13,4 bilhões de anos-luz da Terra, onde se encontra o Planeta naturista. O silêncio do infinito reverencia a paz interior. Só lá as redes sociais são inoperantes e os celulares imprestáveis, de modo que teremos tempo um para o outro, sem nos preocuparmos com a cronologia. O tempo de viagem está previsto para um piscar de olhos, e, no máximo, dois. Informo que o Hubble nos acompanhará. A propósito, uma vez no Planeta naturista, a Terra não aparece no universo, portanto, não poderá ser vista. Boa viagem e curtam a estadia”.

Perfeita aterrissagem no Planeta naturista. Dois guias que aguardavam a nave espacial reúnem as pessoas e dão a mensagem:

“Sejam bem vindos. Aqui no Planeta naturista os conceitos (como retórica) estão guardados a sete chaves porque pra nada servem, na medida em que se questiona a prática da nudez (ou nu) em outras atmosferas. Aqui no Planeta naturista a “experimentação” e a “percepção” são estimuladas – sentimentos e emoções não se confundem. A fauna e a flora nos contemplam; sei que na Terra o olhar dos homens para a natureza é diferente e estranho, por isso, aqui os papeis se invertem, até que a sintonia seja atingida. Os seres vivos devem coexistir em completa harmonia; aprendemos isso aqui. Os tucanos chegaram e nos observam. Água, terra, fogo e ar são os quatro elementos da natureza, e o naturista, o quinto elemento, que a completa (a natureza), por sua capacidade de reunião, de agregação. A nudez social tem incomodado bastante a sociedade politicamente correta. Os motivos são muitos, todavia, há de se destacar comportamentos desagradáveis dos falsos naturistas, que perdem preciosas horas nas redes sociais batendo boca e provocando discórdias em tempo real. A filosofia naturista jamais deveria ser imposta por simples palavras, mas sentida. Como formar juízo de valor sobre naturismo se a inibição decorre da imposição? Deixar acontecer naturalmente, eis a questão – o difícil é ser natural. O impedimento de fazer algo gera consequências, assim como a liberdade forçada, quando não a queremos. Fenomenologicamente, afirmo que o meu corpo é a minha casa, a minha pele a minha roupa. Fato é que estamos aqui, num só nível, com espírito de unicidade, singularidade. Deixemos a energia compartilhada se manifestar – a expressão “grupo” limita, cria fronteiras; nós naturistas não somos um grupo isolado, somos cópia fidedigna do universo em expansão. O tempo que permanecermos no Planeta naturista, seja qual for o período, este deve ser intenso, vamos aproveitá-lo, vamos interagir. Façamos da meditação um exercício espiritual. Igualdade e fraternidade – esse é o lema (que resume um ideal) dos naturistas que habitam temporariamente o Planeta distante 13,4 bilhões de anos-luz da Terra. As estações do tempo causam desconfortos na Terra; calor e frio são sensações descartadas no Planeta naturista, porque a descontração e o aconchego ocupam maior espaço no nosso meio. O retorno à vida dos humanos, politicamente corretos, é sempre estressante; a indústria têxtil nos espera com novos lançamentos de peças de vestuário, portanto, não nos deixemos seduzir quando voltarmos pra casa. Enquanto isso não acontece vamos brincar de roda. Meu nome é Leonardo e o nome do meu irmão naturista aqui do meu lado é Rafael, simplesmente Leonardo e Rafael. A partir de agora somos um só corpo e uma só mente”.

Augusto Avlis

Navegue no Blog  opiniaosemfronteiras.com.br e você encontrará 885 artigos publicados em 16 Categorias. Boa leitura.

Anúncios

Sobre augustoavlis

Augusto Avlis nasceu no Rio de Janeiro na metade do século XX. Essa capital foi antes o Distrito Federal e o Estado da Guanabara. Profissionalizou-se em Marketing Operacional e fez parte, como Executivo, de multinacionais do segmento alimentício por mais de três décadas, além de Consultor de empresas. Formado em Comunicação Social, habilitou-se em Jornalismo. Ocupou cargo público como Secretário de Comunicação. Hoje dedica-se às atividades de escritor e cronista.

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts.

Junte-se a 155 outros seguidores

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: