>
Você está lendo...
Política

A corrupção como estatuto

A corrupção como estatuto

Amigos leitores. Eu acordei hoje com a cabeça fervilhando, não que tivesse sonhado com um maravilhoso ménage, não, é porque descobri que existem outros dois tipos de corrupção, a corrupção virtual e a corrupção sentimental.

A corrupção virtual é aquela que ainda não existe de fato, mas que está na cabeça dos canalhas, está sendo pensada, está sendo matutada. Os bastardos da República ficam se perguntando o tempo todo: “O que posso fazer para arrancar dinheiro daquela obra?”. “Como criar oportunidades para roubar?”. “Com quem posso contar para arquitetar as tramóias?”. “De que forma dividirei a grana amealhada?”.

A corrupção virtual talvez seja a mais daninha de todas as outras modalidades porque denota continuísmo na prática corrupta. Nem mesmo o fantasma da punição convence o canalha a ser honesto. É aquela coisa, eu penso merda, mas não vou fazê-la, porque me vou foder. Deveria ser assim. Acontece exatamente o contrário, eu penso merda, vou fazê-la, vou me dar bem e estou pagando pra ver.

A corrupção sentimental vem do berço. A criança chora para ganhar chupeta. O pai diz ao filho se ele passar de ano ganha uma bicicleta de presente, hoje a “propina sentimental” evoluiu para celular de última geração, para sei lá o quê. O menino para comer a bunda do coleguinha promete lhe dar a bola surrada ou o brinquedo quebrado. O funcionário puxa o saco do chefe e é promovido. Enfim, a corrupção sentimental precede a corrupção virtual, que é o passo seguinte.

A corrupção virtual precede a corrupção sistêmica e endêmica que estamos vendo – os canalhas corruptos de carteirinha conseguem fazê-las andar juntas. É muito provável que apareçam outros tipos de corrupção daqui pra frente dada a criatividade do brasileiro, aliás, para ele, a corrupção é como estatuto.

Augusto Avlis

Navegue no Blog  opiniaosemfronteiras.com.br e você encontrará 884 artigos publicados em 16 Categorias. Boa leitura.

Anúncios

Sobre augustoavlis

Augusto Avlis nasceu no Rio de Janeiro na metade do século XX. Essa capital foi antes o Distrito Federal e o Estado da Guanabara. Profissionalizou-se em Marketing Operacional e fez parte, como Executivo, de multinacionais do segmento alimentício por mais de três décadas, além de Consultor de empresas. Formado em Comunicação Social, habilitou-se em Jornalismo. Ocupou cargo público como Secretário de Comunicação. Hoje dedica-se às atividades de escritor e cronista.

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts.

Junte-se a 157 outros seguidores

Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: