>
Você está lendo...
Política

Carta de Dilma Rousseff para Michel Temer

Carta de Dilma Rousseff para Michel Temer

São Paulo, segunda-feira, 05 de junho de 2017.

Senhor Presidente ainda em exercício Michel Temer.

Um ano e meio faz que o senhor presidente, à época meu vice, me encaminhou com carimbo “Confidencial” uma carta por mim recebida às 17h20min da segunda-feira, 07/12/2015, data da sua emissão.

Tenho fama de ser uma mulher dura, direta, mal educada e que usa de expressões que ferem as convenções ou etiquetas – para ser mais clara, eu não economizo palavrões. Tentarei me esforçar no sentido de ser tão comedida como o senhor foi na forma de ratificar, naquela carta, a sua ruptura com o meu governo, ainda que não olhando diretamente dentro dos meus olhos. Tenho consciência de que a nossa relação já estava desgastada, talvez por falta de cantadas que tocassem o meu “ponto G”.

O senhor presidente cuspiu no prato que comeu, defecou no canto da sala, traiu o nosso pacto e ainda quis sair por cima da carne seca. Seu filho da puta! Bastardo! Canalha! O PMDB sempre agiu como carrapato, como sanguessuga. Partido desgraçado que patrocinou o meu impeachment, com o apoio dos “Coxinhas”, com o objetivo de continuar roubando, desta vez sem o PT, e, uma vez no poder da República, achou que fosse escapar das garras da Justiça. Tomou no CU e agora experimenta do mesmo veneno. Vá se foder senhor presidente! O barco está afundando e de nada adiantará pular n’água porque não há salva-vidas e porque o seu cachorrinho Poodle, o Rodrigo Rocha Loures, confessará pra todo mundo que comeu a Marcela Temer enquanto você conversava com o Joesley Batista no porão do Palácio do Jaburu.

Senhor presidente, farei das suas as minhas palavras, portanto, aproveitarei o inteiro teor da sua carta de 07/12/2015 para redigir a minha, esta que estou publicando nas redes sociais para que todo mundo conheça o seu mau caráter, seu filho duma égua!

“Verba volant, scripta manent” (As palavras voam, os escritos permanecem). Belas palavras que não dizem porra nenhuma, pelo menos pra mim que não sou nada romântica. Antes tivesse nascido com um caralho entre as pernas.

Por isso lhe escrevo, maldito presidente de merda. Muito a propósito do intenso noticiário destes últimos dias e de tudo que me chega aos ouvidos das conversas na organização criminosa da qual pertenço com muito orgulho.

Esta é uma carta pessoal. É um desabafo que já deveria ter feito desde que Joesley Batista fez a delação premiada que o fodeu. Odeio a mídia, assim como todos os petistas, mas desta vez eu gostei que as gravações vieram a público em razão do furo de reportagem do colunista Lauro Jardim, outro “Coxinha” mal frita. O Partido dos Trabalhadores vai tentar corrompê-lo para trabalhar na campanha de 2018. Farei a recomendação à nova presidente do partido, senadora Gleisi Helena Hoffmann. Helena não é por minha conta, ela tem Helena no meio.  

Desde logo lhe digo que não é preciso alardear publicamente a necessidade da minha alegria por vê-lo ferrado e sem saída, com as calças cagadas e sem papel higiênico. Seu filho da puta! Fique sabendo que eu nunca lhe tive lealdade. Fique sabendo que por sua culpa o PMDB quis levar vantagem na divisão das propinas e o PP fez de tudo para copiá-lo.

Senhor presidente ladrão, não me venha com essa de “Lealdade institucional” pautada pelo Art. 79 da Constituição Federal. Sei quais eram as funções do Vice – nenhuma. À minha natural falta de discrição não conectei aquela derivada daquele dispositivo constitucional. Entendeu? Não? Nem eu. Esse é o seu discurso vazio, sem fundamento lógico. Aliás, ladrão que se preza não usa roupas caras para não chamar atenção.

Entretanto, sempre tive ciência da absoluta desconfiança do senhor e do seu entorno corrupto em relação a mim e ao PT. Desconfiança incompatível com o que fizemos para manter o apoio pessoal e partidário ao meu governo. O senhor presidente nega as origens, seu desalmado.

Concordo com o senhor presidente quando disse “Basta ressaltar que na última convenção apenas 59,9% votaram pela aliança. E só o fizeram, ouso registrar, por que era eu o candidato à reeleição à Vice”. Porque todos nós sabíamos que roubaríamos juntos sem passar a perna um no outro, mas não foi isso que aconteceu. Isso é que dá confiar em ladrão insatisfeito.

Ora Michel, Michel, eu tenho mantido a unidade do PT para acabar com o seu governo, usando o prestígio político que ainda acho que tenho. Por debaixo dos panos o Lula vem trabalhando junto à “Máfia da Estrela” para implodir todos do PMDB e do PSDB.

Realmente o senhor passou os quatro primeiros anos do meu governo como vice-decorativo. O senhor sabe disso perfeitamente. Perdeu todo o protagonismo político que tivera no passado e que poderia ter sido usado pelo meu governo. Na verdade o senhor nunca fez falta. É fato que o senhor somente era chamado para resolver as votações do PMDB e as crises políticas com distribuição de propinas. O senhor era mero acessório, secundário, subsidiário.

Michel, seu corno, eu sei que no meu segundo mandato, à última hora, não renovei o Ministério da Aviação Civil onde o Moreira Franco, segundo o senhor, fez belíssimo trabalho elogiado durante a Copa do Mundo. Eu também sabia que ele era uma indicação sua, e é fato que eu quis desvalorizá-lo. Ora, Michel, o Moreira Franco é seu cão de guarda, jamais beijaria a minha mão; veja o que o senhor fez com ele, concedendo-lhe foro privilegiado. Parabéns, o senhor fez o que eu não consegui com o Lula. Com isso o Moreira Franco vai lamber a sua bunda até o último dia do seu governo.

Na sua carta, senhor presidente, o senhor escreve: “No episódio Eliseu Padilha, mais recente, ele deixou o Ministério em razão de muitas ‘desfeitas’, culminando com o que o governo fez a ele, Ministro, retirando sem nenhum aviso prévio, nome com perfil técnico que ele, Ministro da área, indicara para a ANAC. Alardeou-se a) que fora retaliação a mim; b) que ele saiu porque faz parte de uma suposta conspiração”. Ora, ora, senhor presidente Michel Temer, o senhor é a última pessoa a falar em conspiração, seu golpista filho da puta de ocasião.

E o senhor continua na carta: “Quando a senhora fez um apelo para que eu assumisse a coordenação política, no momento em que o governo estava muito desprestigiado, atendi e fizemos, eu e o Padilha, aprovar o ajuste fiscal. Tema difícil porque dizia respeito aos trabalhadores e aos empresários. Não titubeamos. Estava em jogo o país. Quando se aprovou o ajuste, nada mais do que fazíamos tinha sequência no governo. Os acordos assumidos no Parlamento não foram cumpridos. Realizamos mais de 60 reuniões de líderes e bancadas ao longo do tempo solicitando apoio com a nossa credibilidade. Fomos obrigados a deixar aquela coordenação”. Porque vocês, senhor presidente, o senhor e o corrupto do Padilha, prometeram aos parlamentares também corruptos mais propina do que aquela que autorizamos. E quem é o senhor para se preocupar com o país? Quando, na verdade, se preocupa consigo próprio!

Senhor presidente de quitanda, o seu fajuto programa “Uma Ponte para o Futuro”, nunca foi aplaudido pela sociedade, as propostas jamais poderiam ser utilizadas para recuperar a economia e resgatar a confiança do governo. Realmente foi uma manobra desleal da sua parte, de modo que se houvesse de fato cumplicidade, o PMDB teria ouvido antes a opinião do PT e dado a nós a oportunidade de batizar o programa com outro nome, talvez “Um salto para o enriquecimento ilícito”.

Michel, de fato o meu governo sempre teve ciência de que buscava promover a divisão do PMDB, porque achávamos que o partido, por ser grande demais, estava dando prejuízo. Sei, também, que passados estes momentos críticos e de turbulência política, tenho a certeza de que o país continuará não tendo tranquilidade para crescer e consolidar as conquistas sociais que o PT consolidou com a divisão das propinas de forma amigável, até porque, enquanto existir Justiça e o juiz Sérgio Moro nos nossos calcanhares, tudo ficará mais difícil.

Temer, seu filho da puta, hoje é Dia Mundial do Meio Ambiente, e você deve ter contribuído para o aumento do aquecimento global soltando gases do efeito estufa, porque deve ter peidado bastante aí na cadeira que um dia foi minha – contaminou tudo e a todos que estavam no ambiente. Temer, seu CU frouxo.

Por falar em peidar, você só lembra que tem CU quando está com diarreia ou sofre de prisão de ventre – em ambos os casos você fica com pena dele, do CU. Na diarreia o CU não para de trabalhar, fica cansado; na prisão de ventre ele se arrebenta todo quando o “tolete” resolve sair.

É Temer, seu bastardo peemedebista de uma figa, quem tem CU tem medo, e você além de medroso é cagão. E tem outra coisa, quem tem CU, ainda que frouxo, não faz contrato com pica grossa, e você subestimou o japonês da Federal. Temer, você se fodeu de verde e amarelo.

Em tempo, senhor presidente, não se preocupe com o julgamento da nossa chapa Dilma-Temer 2014, amanhã pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), porque o PT já mandou um recado para alguns ministros daquela Corte Eleitoral. Caso votem pela cassação da chapa e eu perca os direitos políticos ficando inelegível por 08 anos, vamos entregar de bandeja os nomes dos ministros que regularmente recebiam propina, tanto que todas as nossas contas das campanhas anteriores eram aprovadas sem questionamentos. O TSE é uma excelente empresa de branqueamento de valores e deveria ser processada por gestão fraudulenta.

A propósito, minta ao responder as 84 perguntas formuladas pela Polícia Federal no processo da delação da JBS que corre contra o senhor no Supremo Tribunal Federal. Soube que não são mais 84 perguntas, o questionário tem 82. Os procuradores da Lava-Jato decidiram tirar duas perguntas de cunho pessoal que poderiam prejudicar o andamento do processo. São elas: O senhor confirma que é corno? É verdade que a sua esposa Marcela Temer um dia foi garota de programa? Michel, seu corno desconectado e dançarino de boate, ficará me devendo mais essa dica que lhe dei. Quer saber de uma coisa? Não precisa me pagar, eu quero que o senhor seja preso o quanto antes. Filho da puta traidor!

Finalmente, sei que o senhor não tem confiança em mim, na minha opção sexual, e no PT, hoje, e não terá amanhã. Nunca teve, na verdade. Lamento dizer isto, mas esta é a minha convicção formada. De todo modo, senhor presidente Michel Temer, vai tomar no CU!

Sem respeito algum, e não lhe vou pedir perdão pelo palavrório.

Dilma Vana Rousseff (Linhares), ex-terrorista e assaltante de bancos.

Também atendo pelas alcunhas de Estela, Luiza, Patrícia, Vanda.

A eterna militante da Política Operária (POLOP-MG) e de outros movimentos guerrilheiros.

______

Augusto Avlis

Navegue no Blog  opiniaosemfronteiras.com.br e você encontrará 806 artigos publicados em 16 Categorias. Boa leitura.

Anúncios

Sobre augustoavlis

Augusto Avlis nasceu no Rio de Janeiro na metade do século XX. Essa capital foi antes o Distrito Federal e o Estado da Guanabara. Profissionalizou-se em Marketing Operacional e fez parte, como Executivo, de multinacionais do segmento alimentício por mais de três décadas, além de Consultor de empresas. Formado em Comunicação Social, habilitou-se em Jornalismo. Ocupou cargo público como Secretário de Comunicação. Hoje dedica-se às atividades de escritor e cronista.

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts.

Junte-se a 145 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: