>
Você está lendo...
Política

2º Bilhete a Lula

2º Bilhete a Lula

Assunto: Depoimento ao juiz Sérgio Moro.

 

Parabéns Lula, você seguiu à risca o que lhe recomendei no 1º Bilhete: “Mantenha a calma e a sua cara de pau. Ponha em prática o que você tem de melhor, ou seja, a capacidade de mentir, e faça ameaças […]”. Assisti aos vídeos do seu depoimento ao juiz Sérgio Moro na tarde desta quarta-feira, 10/05. Realmente você, Lula, não tirou o embuço, conseguiu ser você mesmo, dissimulado, fingido, falso, hipócrita. “Não sei de nada, não vi nada, não conheço a pessoa, não pedi nada, não existe nada contra mim, não existem provas”. Já vi este filme antes, por época do julgamento do Mensalão do PT, que resultou na Ação Penal 470 no Supremo Tribunal Federal (STF). Um fato me chamou atenção: Você, Lula, não disse ao juiz Sérgio Moro que foi traído por alguém de sua suposta confiança. O seu depoimento foi um festival de bizarrices, um espetáculo circense, mas conseguiu engambelar os seus sequazes. Aliás, nessa matéria você, Lula, é professor. Agora, negar sistematicamente a existência de marcas de batom na cueca é uma estratégia que pode ouriçar algumas putas incomodadas.

Quem possui uma inteligência mediana sabe que você, Lula, está mais sujo do que pau de galinheiro, mais comprometido do que aquele marido que leva a sua mulher para participar de um swing – festinha liberal com a participação de casais e homens solteiros. Convenhamos, não dá para acusar determinadas pessoas se todos os dedos estão apontados para a sua cara sarabulhenta. O juiz Sérgio Moro, ontem, apenas cumpriu mais uma etapa do processo jurídico ouvindo o último réu arrolado, nesse caso você, Lula. As provas contra você pesam mais no prato da Justiça, e, certamente, já estão anexadas como autos relevantes. Lula, não se preocupe, a Justiça soube ordenar o conjunto das peças do seu processo. Os seus amigos do peito, Léo Pinheiro e Renato Duque, deram uma ajudinha ao Ministério Público Federal – essa é outra certeza que você, Lula, nega veementemente. A sentença virá com o rigor necessário e proporcional aos seus crimes, cometidos em nome do “partidão” e em vingança ao dantes regime totalitário, do qual você, Lula, apregoa ter sido vítima. Ok. Então você, Lula, afirma que roubando os cofres públicos é uma forma de ser indenizado pelo Estado!

Uma coisa que me deixou pensativo: a sua premeditada intenção de atribuir à sua falecida esposa todas as tratativas envolvendo o Triplex, toda a responsabilidade pelas negociações junto a Léo Pinheiro e a empreiteira OAS. No mínimo, Lula, é uma falta de respeito àquela companheira que lhe seguiu como uma cabra cega nos pastos da política. A sua cara porca não ficou enrubescida em momento algum durante o depoimento quando se referia à figura de Marisa Letícia, que foi excluída do processo por motivos óbvios, mas não inocentada pela Justiça brasileira – e não será. De todo modo, ela, a ex-primeira-dama do Brasil, deveria ter sido poupada de mais acusações, até porque não cumprirá pena na terra dos homens. O corpo de Marisa Letícia deve estar dando voltas no caixão.

Lula. Meus sinceros pêsames. Termino o 2º Bilhete com a minha manifestação de pesar, com profunda tristeza e comiseração. Aceite as condolências pelo falecimento da sua esposa, a ex-primeira-dama do Brasil, senhora Marisa Letícia Lula da Silva (07/04/1950 – 03/02/2017). Eu tenho, pelo menos, duas compaixões a externar: primeira, o fato de a senhora Marisa Letícia ter se tornado ré na Operação Lava-Jato por exclusiva culpa do senhor ex-presidente Lula, e, segunda piedade, o fato de ela ter aceitado a troca do belo sobrenome “Rocco Casa” por Lula da Silva. Nem o certo destino consegue explicar certas coisas incertas. Às vezes temos que passar por determinadas provações – formas sábias de Deus nos preparar para algo grandioso que ainda está por vir, ou não. Julgamo-nos merecedores de graças pelo que fizemos de bom – a nosso julgamento –, quando, na verdade, recebemos punições pelo que fizemos de errado – aos olhos do “Senhor”. É tempo de reflexão no Mount Ararat. Lula, você pode refletir no sertão de Pernambuco.

Nota de rodapé: Pela boa ordem informo que não modificarei o meu estilo de escrita, portanto, tomo a liberdade de encaminhá-lo um dicionário para consultar o significado de determinadas palavras de difícil compreensão, lógico, a seu juízo. Lula, por favor, não leia o dicionário de cabeça pra baixo.

Augusto Avlis

Navegue no Blog  opiniaosemfronteiras.com.br e você encontrará 794 artigos publicados em 16 Categorias. Boa leitura.

Anúncios

Sobre augustoavlis

Augusto Avlis nasceu no Rio de Janeiro na metade do século XX. Essa capital foi antes o Distrito Federal e o Estado da Guanabara. Profissionalizou-se em Marketing Operacional e fez parte, como Executivo, de multinacionais do segmento alimentício por mais de três décadas, além de Consultor de empresas. Formado em Comunicação Social, habilitou-se em Jornalismo. Ocupou cargo público como Secretário de Comunicação. Hoje dedica-se às atividades de escritor e cronista.

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts.

Junte-se a 145 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: