>
Você está lendo...
Política

A volta do que não foi!

1Alguém tem alguma dúvida de que Lula continua governando o Brasil? Ele não deixou de ser o presidente da República, mesmo nas duas gestões de Dilma Rousseff, a sua afilhada política – Dilma é uma espécie de “governante-tampão”, ocupou o mais elevado cargo no Executivo federal porque Lula não poderia concorrer ao terceiro mandato consecutivo em 2010 e optou em não concorrer às eleições de 2014 – sabia que Dilma seria reeleita e, portanto, continuaria presidente da República por 16 anos, 2003/2018. No cassino da política Lula dá as cartas.

Lula vem articulando pessoalmente com líderes petistas e aliados na Câmara e no Senado, sobretudo neste momento de crise institucional, agravada pela combalida economia e pelas incertezas na política, óbvio, tentará salvar o que restará do Partido dos Trabalhadores após as águas de março – a pele dele também estará no balaio da salvação, uma vez que Lula tem altas pretensões para 2018, quer ser presidente novamente, para a infelicidade geral da nação. Se o povo até lá não sofrer transplante de cérebro eu acho que tem chances, porém, se morrer antes, acaba tudo, inclusive o PT. O óxido de cálcio já está comprado para o enterro de ambos.

Não faltam provas da ingerência de Lula no governo Dilma. A presidente foi aconselhada por ele a afastar o Ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, da articulação política do governo. A interferência de Lula para fritar Mercadante iniciou-se no começo de fevereiro deste ano, após o Palácio do Planalto ter sofrido grandes derrotas no Congresso Nacional, atribuídas por petistas e aliados à péssima atuação do ministro da Casa Civil. O intrometimento de Lula é público e notório, não vem de hoje, tanto que Dilma Rousseff tem recorrido sistematicamente aos seus conselhos, sejam dados em reuniões formais, informais, almoços, jantares, hotéis ou em motéis de Brasília com a presença do secretário de Finanças e Planejamento do Partido dos Trabalhadores, João Vaccari Neto, com a sua inseparável mochila cheia de dinheiro da Petrobras. Vaccari “sifu”, virou réu no processo do Petrolão depois do juiz federal criminal Sérgio Fernando Moro acatar denúncia do Ministério Público Federal nesta segunda-feira, 23.

Em julho de 2013, em antecipada “campanha política à reeleição”, Dilma Rousseff disse numa entrevista ao jornal Folha de São Paulo que o ex-presidente Luiz Inácio da Silva “Não vai voltar porque ele não foi. Ele não saiu”, referindo-se ao movimento de algumas alas do PT favoráveis ao “Volta Lula”. Na mesma entrevista, Dilma Rousseff comentou que não se incomoda “nem um pouquinho” com eventuais comparações com Lula, que o então Ministro da Fazenda Guido Mantega permaneceria à frente da pasta, que a inflação estava sob controle, que não estava pensando em diminuir o número de ministérios, porque acreditava que isso não vai reduzir os custos para a União. Respondendo à jornalista: “Querida, olha, vou te falar uma coisa: eu e o Lula somos indissociáveis. Então, esse tipo de coisa, entre nós, não gruda, não cola. Agora, falar volta Lula e tal… Eu acho que o Lula não vai voltar porque ele não foi. Ele não saiu. Ele disse outro dia, vou morrer fazendo política; podem fazer o que quiser; vou estar velhinho e fazendo política”. Se suja ou não é outro departamento, né Dilma?

“Não, eu não sou isso, não [centralizadora ou autoritária], como alguns dizem. Agora, eu sei, como toda mulher, que, se você não acompanha as coisas prioritárias, tem um risco grande de elas não saírem. É que nem filho. Você ajuda até um momento, depois deixa voar”.

Dilma Rousseff

Provavelmente tal comentário partiu de alguma consultoria prestada por Lula, o presidente “que não vai voltar porque não foi, porque não saiu”. O pior disso tudo, senhora Dilma Lula da Silva, as coisas não estão voando, estão indo pro brejo, principalmente com a evolução da Operação Lava-Jato. Não há agenda positiva do governo federal, o que há é uma tentativa desesperada em mostrar ao Brasil que as atuais crises são pombinhas brancas soltas em dia de chuva fraca.

Augusto Avlis

Navegue no Blog  opiniaosemfronteiras.com.br e você encontrará 642 artigos publicados em 14 Categorias. Boa leitura.

Anúncios

Sobre augustoavlis

Augusto Avlis nasceu no Rio de Janeiro na metade do século XX. Essa capital foi antes o Distrito Federal e o Estado da Guanabara. Profissionalizou-se em Marketing Operacional e fez parte, como Executivo, de multinacionais do segmento alimentício por mais de três décadas, além de Consultor de empresas. Formado em Comunicação Social, habilitou-se em Jornalismo. Ocupou cargo público como Secretário de Comunicação. Hoje dedica-se às atividades de escritor e cronista.

Discussão

2 comentários sobre “A volta do que não foi!

  1. Realmente ele não saiu,qualquer movimento contra o governo lá esta ele, no palacio, dando pitaco, pois a incompetencia dessa senhora é impresssionante, ela só faz duas coisas bem, MATA e ROUBA.

    Publicado por nair | 24/03/2015, 14:17

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts.

Junte-se a 157 outros seguidores

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: