>
Você está lendo...
Política

Sequestro da decência – 7ª parte

1Para irritação dos governistas, volto a reafirmar que o Brasil é um paraíso de ladrões, e também de espertalhões. Não há Lei que balize essas práticas, o roubo e a esperteza, só as práticas fazem as normas. Essas práticas também “fazem escola” para os novatos que chegam ao covil político com tendências explícitas e bem definidas para roubar e para ser esperto – não significa, necessariamente, que essas ações aconteçam simultaneamente; o “Chefe do Galinheiro Nacional”, espertamente, manda alguém roubar por ele e para ele, enquanto a “Opinião Pública” se diz esperta e confessa que nunca roubou. Os dois presidentes, do Banco de Sangue Nacional e da Comissão de Moral e Ética, na espreita, torcem para que sobre algo de bom para eles, e geralmente sobra, porque assumem que são bobos e honestos.

A Câmara dos Deputados aprovou ontem, terça-feira, 10 de fevereiro de 2015, por 427 votos a favor e 44 contra, a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) do Orçamento Impositivo, a chamada “PEC do Impositivo”. Os deputados mantiveram integralmente o texto aprovado pelo Senado, de modo que a Emenda irá para promulgação (Ato de publicar a fim de produzir os devidos efeitos). Depois desse procedimento o Executivo “obriga-se” a pagar as emendas individuais dos parlamentares ao Orçamento da União. Essa fatia obrigatória representa 1,2% da receita corrente líquida da União, sendo que 50% do valor das emendas serão destinados à área da saúde (está no pacto). As emendas ao Orçamento têm como destino o custeio dos projetos e obras defendidas pelos parlamentares em seus redutos eleitorais, uma forma de cumprir com as promessas de campanha ou com os acordos de legenda. Foi uma derrota para o governo, que perde uma importante “moeda de troca” quando submete os seus projetos para aprovação do Congresso. As regras do Orçamento Impositivo foram incluídas na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2015, a exemplo de 2014, e os valores estão na proposta do Orçamento da União. A maior conquista dos parlamentares é que agora o Executivo é obrigado a destinar os recursos, acabando com os inoportunos fisiologismos como o “toma lá, dá cá” – teoricamente, os parlamentares serão “menos manipulados”. As Emendas Impositivas, para 2015, somam R$ 9,8 bilhões. A votação da “PEC do Impositivo” estava parada na Câmara e o presidente da casa, Eduardo Cosentino da Cunha (PMDB-RJ), resolveu tirar a proposta da gaveta logo nos primeiros dez dias de trabalho, e assim colocou mais uma pedra no caminho do Ajuste Fiscal.

Quando o Diabo não marca presença na festa ele manda o assessor, ou a assessora. No mesmo dia da aprovação da “PEC do Impositivo”, a presidente Dilma Rousseff nomeou a ex-ministra do Planejamento, Miriam Belchior, como presidente da CAIXA Econômica Federal, em substituição a Jorge Fontes Hereda, que ficou no cargo nos últimos quatro anos. É bom lembrar aos esquecidos que Miriam Belchior foi um tipo de “assessora especial” do ex-presidente Lula e na ocasião dirigiu o PAC – Programa de Aceleração do Crescimento, que também acumula uma série de denúncias de irregularidades. Miriam Belchior recebeu como missão do governo apresentar um estudo de viabilidade no sentido da abertura do capital da CAIXA no mercado de ações. Qual parcela da CAIXA será “privatizada”? O governo federal deveria gerir o Estado Brasileiro com foco nos serviços essenciais à população (Saúde de qualidade, Educação de ponta, Saneamento básico, Moradia, Emprego e renda, Energia, Recursos hídricos, entre outros), mas, insiste no “reaparelhamento” de setores sobre os quais lhe falta competência. Fica claro que o Executivo tenta se agarrar onde pode, com interesses inconfessáveis, numa atmosfera de fim de governo. Lembro à torcida do Flamengo que hoje, quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015, o Banco do Brasil anunciou um lucro líquido de R$ 3,025 bilhões no quarto trimestre de 2014, registrando uma queda de 2,2% em relação ao mesmo período de 2013. No comparativo anual, 2014 x 2013, o lucro do BB caiu 28,6%, ou seja, em 2014 foi de R$ 11,25 bilhões e em 2013 foi de R$ 15,8 bilhões. Por essa performance negativa, o então presidente do BB, Aldemir Bendine, foi “guindado” para a presidência da Petrobras. Este é o projeto do governo voltado à meritocracia.

A CAIXA Econômica Federal é o segundo maior banco público do Brasil e a mais importante instituição na concessão de créditos imobiliários (hipoteca imobiliária). A propósito, a partir da segunda-feira, 19 de janeiro deste ano, a CEF aumentou as taxas de juros do financiamento imobiliário, cuja alta valerá para os financiamentos tomados a partir daquela data. Com o desastre financeiro anunciado da CAIXA, no exercício 2015, quais serão as explicações da nova presidente Miriam Belchior? A pergunta é outra: Qual a promoção que Miriam Belchior receberá de Dilma Rousseff, caso esta primeira incompetente permaneça na presidência da República? O fato é que Miriam Belchior ocupou o Ministério do Planejamento nos últimos meses do governo Lula e permaneceu na pasta durante os primeiros quatro anos do governo Dilma. Muita gente informada não sabia, até agora, que Miriam Belchior foi casada (dez anos) com o ex-prefeito de Santo André, Celso Daniel, assassinado em 2002, sob condições misteriosas. Pelos “bons tratos” que Miriam Belchior vem recebendo constantemente do PT, talvez nunca saibamos que condições ou circunstâncias foram aquelas.

Augusto Avlis

Navegue no Blog  opiniaosemfronteiras.com.br e você encontrará 619 artigos publicados em 14 Categorias. Boa leitura.

Anúncios

Sobre augustoavlis

Augusto Avlis nasceu no Rio de Janeiro na metade do século XX. Essa capital foi antes o Distrito Federal e o Estado da Guanabara. Profissionalizou-se em Marketing Operacional e fez parte, como Executivo, de multinacionais do segmento alimentício por mais de três décadas, além de Consultor de empresas. Formado em Comunicação Social, habilitou-se em Jornalismo. Ocupou cargo público como Secretário de Comunicação. Hoje dedica-se às atividades de escritor e cronista.

Discussão

2 comentários sobre “Sequestro da decência – 7ª parte

  1. É a politica de perde aqui e ganha mais ali. Que maravilhosa compensação, fica viúva mas ganha um empregão.

    Publicado por nair | 25/02/2015, 23:23
  2. Enquanto isso o cidadão comum vai fazendo das tripas coração.

    Publicado por augustoavlis | 26/02/2015, 07:14

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts.

Junte-se a 157 outros seguidores

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: