>
Você está lendo...
Política

Polítitica – 32ª Crônica

Dom José Graziano – eu só vivo cometendo gafes ultimamente –, José Graziano, sem o “Dom”, andou batendo de frente com Dom Mauro Morelli (além de Bispo, é líder da Igreja Católica engajada na luta social), que teve o seu nome vetado para o Conselho de Segurança Alimentar. Ele faria parte do governo Lula.

As divergências com o Ministro Graziano – acho que é esse o status – começaram com as más interpretações. Dom Mauro Morelli, num artigo veiculado na bendita Internet pela Rede Católica, documentou que “Distribuir comida não enche a barriga de ninguém”. “Sem paternalismo e assistencialismo, através da participação e do trabalho, o povo quer e deve exercer sua cidadania”, completou o Bispo. Não há, absolutamente, nada e nenhum ponto a discordar do Bispo Mauro Morelli. Até porque é um direito constitucional a livre manifestação do pensamento.

O PT ainda peca por mal interpretar as coisas – maldita herança. Distribuir comida não enche a barriga de ninguém porque não vai mudar a sua condição. O paternalismo pode revelar uma tendência a disfarçar o autoritarismo sob a forma de proteção. O assistencialismo pressupõe favores e ajudas constantes, incessantes, inibindo o indivíduo de participar, com o seu trabalho, da construção de um país livre, próspero e soberano. Isto dá orgulho. O povo clama por oportunidade. Ponto.

O exercício da cidadania é um direito de todos, inclusive dos inválidos. Ao governo cabe criar as condições para que os cidadãos gozem dos seus direitos civis e políticos, com primazia, afastando e exorcizando o fantasma da “obrigação passiva” que há muito assombrou a nação. Neste governo de transição – espero que não seja apenas uma passagem de um ponto para o outro –, nem a batina foi poupada. Página virada, todos se postaram de joelhos a rezar e ouviram Deus dizer que tudo não passou de um mal-entendido. Infelizmente, a igreja estava vazia. Ele, Deus, interpretou tudo certo.

Augusto Avlis

Sobre augustoavlis

Augusto Avlis nasceu no Rio de Janeiro na metade do século XX. Essa capital foi antes o Distrito Federal e o Estado da Guanabara. Profissionalizou-se em Marketing Operacional e fez parte, como Executivo, de multinacionais do segmento alimentício por mais de três décadas, além de Consultor de empresas. Formado em Comunicação Social, habilitou-se em Jornalismo. Ocupou cargo público como Secretário de Comunicação. Hoje dedica-se às atividades de escritor e cronista.

Discussão

Trackbacks/Pingbacks

  1. Pingback: Livro Polítitica « Opinião sem Fronteiras - 29/07/2012

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts.

Junte-se aos outros seguidores de 160

%d blogueiros gostam disto: