>
Você está lendo...
Polícia e Segurança Pública

O bicho está solto! – 1ª parte

O bicho está solto! – 1ª parte

Passei um final de semana maravilhoso, longe de tudo, das agruras da vida. De 03 a 05 deste mês (sexta, sábado e domingo) eu e a minha mulher participamos do XV CONGRENAT, Congresso Brasileiro de Naturismo, realizado no sítio Riacho das Pedras, em Guarapari, litoral do Espírito Santo. Trata-se de um evento bianual promovido pela Federação Brasileira de Naturismo (FBN), no qual se reúnem os dirigentes das entidades naturistas filiadas, associados e naturistas em geral, para debaterem assuntos relevantes ao naturismo brasileiro, proporem sugestões, mudanças no estatuto da FBN, eleição da nova diretoria para o biênio seguinte. E claro, numa atmosfera de respeito, confraternização, alegria, saudação à natureza e lazer.

Nós não tínhamos a menor ideia do que estava acontecendo fora daquele ambiente naturista, até porque, televisão e rádio não existiam nas suítes, computador e celular eram objetos não acessados por falta de sinal de Internet. Só tomamos conta da gravidade da situação quando chegamos a casa e nos conectamos ao canal GLOBO NEWS. Acabou com o nosso domingo, ou melhor, com o que restou dele. Confesso que estou perplexo até agora, assustado com tudo o que está ocorrendo com a total falta de segurança pública, não só na Grande Vitória (Região Metropolitana), como também em outras grandes e médias cidades do Espírito Santo, de Norte a Sul, como Cachoeiro de Itapemirim, Colatina, Linhares, São Mateus, Guarapari – cidades menores também não foram poupadas pela gigantesca onda de violência. Uma desgraça anunciada, muito embora as autoridades do governo não queiram admitir. A pura verdade é que a caldeira ultrapassou os limites da sua pressão máxima, não aguentou e simplesmente explodiu, fazendo vítimas por todos os lados, sobretudo fatais. Ninguém quer assumir a responsabilidade pelo caos instalado no Estado, enquanto isso, os anjos ficam sem ter o sexo reconhecido.

A greve da Polícia Militar (PM) – seis dias faz hoje, 09/02 –, considerada ilegal pela Justiça, é surreal, e o motivo mais ainda. Reivindicar aumento dos vencimentos com paralisação geral, a meu juízo, é irresponsabilidade, falta de compromisso com a população, é motim, é inconstitucional. Independente de qual lado do conflito a razão esteja, importante dizer que o governo do Espírito Santo não pode se render aos amotinados, sob pena de perder a sua legitimidade, a sua autoridade natural, sob pena de presenciar um banho de sangue promovido pelos bandos de criminosos armados e maltrapilhos, que agem covardemente a qualquer hora, aproveitando que a população de bem está totalmente desprotegida e acuada, sem condições de se defender sozinha, com as próprias mãos, porque no passado recente entregou as suas armas nas campanhas de desarmamento promovidas pelo governo federal, que, aquela altura, já previa o acontecimento de “fatos horrendos programados”, de modo que os cidadãos comuns deveriam permanecer submissos, sem condições de estabelecer fronteiras de defesa – o sistema de poder assim o quer; a população não pode se voltar contra o governo, ou contra grupos sediciosos por ele admirados e que servem aos seus interesses. O bicho está pegando!

Nota de rodapé: O ápice do XV CONGRENAT, sem dúvida, foi a comemoração do centenário do nascimento de Luz Del Fuego (Dora Vivacqua, nascida em Cachoeiro de Itapemirim, ES, no dia 21 de fevereiro de 1917, vindo a falecer no Rio de Janeiro no dia 19 de julho de 1967). Leia-se: “Luz Del Fuego foi dançarina, atriz, escritora, feminista e naturista. Ela foi pioneira na fundação do Naturismo no Brasil entre os anos de 1940 e 1950; como primeira nudista brasileira, fundou o Clube Naturalista Brasileiro em 1951, primeiro reduto naturista da América Latina, na Ilha Tapuama de Dentro (com mais de 8.000 m²), onde morava com autorização da Marinha do Brasil, rebatizada por Luz Del Fuego com novo nome, Ilha do Sol.

Augusto Avlis

Navegue no Blog  opiniaosemfronteiras.com.br e você encontrará 773 artigos publicados em 16 Categorias. Boa leitura.

Anúncios

Sobre augustoavlis

Augusto Avlis nasceu no Rio de Janeiro na metade do século XX. Essa capital foi antes o Distrito Federal e o Estado da Guanabara. Profissionalizou-se em Marketing Operacional e fez parte, como Executivo, de multinacionais do segmento alimentício por mais de três décadas, além de Consultor de empresas. Formado em Comunicação Social, habilitou-se em Jornalismo. Ocupou cargo público como Secretário de Comunicação. Hoje dedica-se às atividades de escritor e cronista.

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts.

Junte-se a 145 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: