>
Você está lendo...
Esportes

Copa do Mundo – 7ª parte – A Eleição do Brasil

1Amigos leitores, eu não poderia abrir melhor este artigo sem as palavras infantis da Dilminha. O Brasil é a nossa Neverland. Merecemos. O Brasilzinho já começa a perder a Copa do Mundo de 2014 a partir dessa declaração de Dilma Rousseff, a presidente dos torcedores petistas. Há um aspecto conotativo nas palavras da herdeira política de Lula. O Brasil ganha e ela perde, o Brasil perde e ela ganha. Essa é a lógica da política brasileira. Se os políticos trabalhassem a favor do crescimento do país seriam obrigados a abrir mão dos seus interesses pessoais e partidários. Ao contrário, para que eles, os políticos, possam se locupletar, deixam o país em completo estado de abandono por falta de políticas públicas que impulsionem o crescimento através de investimentos básicos. Uma coisa está ligada à outra, disso eu não tenho a menor dúvida. É por isso que R$ 50 bilhões foram arrancados dos cofres públicos para o governo patrocinar festa esportiva para os convidados internacionais, enquanto os verdadeiros donos da casa de espetáculos carecem de moradia, alimentação, saúde, educação, saneamento, transporte, emprego, serviços essenciais. Independente dos resultados que a Seleção brasileira obtenha em campo, o país Brasil tem acumulado derrotas no tapetão da política com perda de imagem e de credibilidade, aqui dentro e lá fora. Representativa parcela da população está perplexa, estupefata, com tudo o que envolve a Copa do Mundo, por isso vem pagando um preço extremamente caro pelo fato da outra parcela não ter aprendido a fazer o dever de casa – conhecer o assunto, acompanhar, questionar, cobrar. O espírito de cidadania inexiste.

O Brasil foi eleito país-sede da Copa do Mundo FIFA de 2014 em 30 de outubro de 2007, cujo processo foi conduzido pela própria Federação Internacional de Futebol Associado (Fédération Internationale de Football Association). Após o anúncio oficial feito pela FIFA, alguns idiotas colocaram uma camisa da Seleção brasileira na estátua do ex-presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira, fundador da capital Brasília. A estátua é parte integrante do Memorial JK, um museu localizado em Brasília, projeto de Oscar Niemeyer, inaugurado em 12 de setembro de 1981. Se a moda pegar, esta onda de vestir os monumentos, será difícil tirar as medidas do Cristo Redentor. De 30 de outubro de 2007 até hoje, 30 de maio de 2014, passaram-se 06 anos e 07 meses, tempo suficiente para o governo federal ter tomado todas as providências relacionadas à organização do evento, sem deixar pendências. O brasileiro carrega a fama de deixar tudo para a última hora e me parece que o governo foi contaminado por esse conceito.

2A Ordem e o Progresso desaguaram na Desordem e no Atraso. O Congresso Nacional se transformou em Delegacia de Polícia, não tem feito outra coisa senão investigar, em detrimento do trabalho legislativo. O prefeito de Sucupira, Odorico Paraguaçu, se vivo fosse, diria em bom tom: “As CPIs são especulatórias, difamatórias e enganatórias”. A real queda de popularidade de Dilma Rousseff parece não incomodá-la – da mesma forma as manifestações que começam a tomar corpo pelo país, os protestos contra a realização da Copa, a grave crise da Petrobras mergulhada em corrupção, os elevados custos dos estádios, também são fatos que não tiram o sono daquela que segurará o caneco vazio. Lula, como sempre, ungido pela bestialidade, saiu em defesa de Dilma: “O povo é mais esperto do que algumas pessoas imaginam. […] Não se faz Copa do Mundo pensando só em dinheiro. […] Os políticos têm de assumir, decidir e dizer para onde o país tem que ir” – disse Lula. Eu digo para o Lula que sei para onde o país tem que ir: Pro brejo, caso do PT continue governando!

Vergonha, sentimento de vergonha. Os brasileiros, com sangue nas veias, estão sentindo isso. Mas, há aqueles que não estão nem aí para a hora do Brasil. Parabenizo-os pela falta de respeito aos valores nacionais, pela falta do verdadeiro patriotismo. O que seria do Brasil sério se não existisse o Brasil debochado? Dois Brasis que convivem lado a lado, medindo forças, acusando um ao outro por tudo o que está acontecendo de ruim. Dois grandes Brasis que se contrastam e não sabemos qual identidade é falsa. Viva a Copa do Mundo, que está prestes a acontecer no território nacional, previamente lavado com uma mistura de solventes eficazes, como escárnio, descaso e negligência. Viva a CBF, viva a FIFA. O Brasil foi eleito país-sede da corrupção em 01 de janeiro de 2003. A maioria dos brasileiros se caísse de cara num gramado verdinho não levantava mais, sem bola rolando, pastaria satisfeita, até o campo virar várzea, uma planície aluvial, uma planície de inundação.

Augusto Avlis

Anúncios

Sobre augustoavlis

Augusto Avlis nasceu no Rio de Janeiro na metade do século XX. Essa capital foi antes o Distrito Federal e o Estado da Guanabara. Profissionalizou-se em Marketing Operacional e fez parte, como Executivo, de multinacionais do segmento alimentício por mais de três décadas, além de Consultor de empresas. Formado em Comunicação Social, habilitou-se em Jornalismo. Ocupou cargo público como Secretário de Comunicação. Hoje dedica-se às atividades de escritor e cronista.

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts.

Junte-se a 159 outros seguidores

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: